Além do Java: as habilidades dos melhores desenvolvedores do mercado

Os tempos voláteis em que vivemos bateram o martelo sobre a importância da tecnologia nas nossas vidas. Se antes estávamos cada vez mais dependente dela, hoje não temos outra opção: estamos cercados por telas, aplicativos e conversas em vídeos por todos os lados. É justamente a tecnologia que nos mantem conectados quando a maioria de […]

Escrito por Fernando Iodice | 21.10.2020

Gostou da leitura?

Compartilhe:

Os tempos voláteis em que vivemos bateram o martelo sobre a importância da tecnologia nas nossas vidas. Se antes estávamos cada vez mais dependente dela, hoje não temos outra opção: estamos cercados por telas, aplicativos e conversas em vídeos por todos os lados. É justamente a tecnologia que nos mantem conectados quando a maioria de nós está, em algum grau, isolada dos demais.

E por trás de todas essas funcionalidades, existem times de desenvolvedores e outros profissionais da área de tecnologia trabalhando dia e noite para entregar a melhor experiência possível para o usuário. E o mais legal é que essa é uma área que não para de crescer. Das 15 Profissões Emergentes em 2020 mapeadas pelo LinkedIn no Brasil, 9 estão diretamente relacionadas à tecnologia da informação.

Para se destacar nesse mercado é preciso ir além do “Java”. Outras habilidades, muitas delas até menos técnicas, são necessárias para se tornar um dos melhores desenvolvedores do mercado. Mas afinal, quem são os melhores?

Para nós do iq, os melhores desenvolvedores são aqueles capazes de trabalhar um problema complexo, antecipar centenas de potenciais problemas, quebrar em problemas menores, criar as camadas de abstração corretas e ainda manter um código limpo e de fácil manutenção.

Para chegar lá, além de conhecer as linguagens de programação, é preciso entender de lógica​, ser detalhista, buscar qualidade e se sentir dono do produto. Além disso, ter vontade de aprender e flexibilidade para encarar novos desafios é fundamental. Muitas vezes não será cobrado que você conheça à fundo uma linguagem específica, mas é esperado que tenha vontade de aprender e colocar a mão na massa.

Ter uma visão geral do processo, ou seja, saber para onde vai seu código, também é uma habilidade importante. Passou-se o tempo em que o programador entregava seu trabalho e não sabia para onde ele iria: hoje é esperado que os profissionais saibam escrever o código e acompanhar seu funcionamento no sistema. Um outro diferencial é saber revisar tanto os próprios códigos como os das outras pessoas do time. Assim, é possível antecipar problemas e sugerir melhorias.

Os novos tempos pedem times cada vez mais colaborativos e ousados. Ser um profissional que trabalha bem em equipe e que também é movido por desafios é tão ou mais importante do que ser um grande especialista em uma linguagem específica. Quem conseguir desenvolver e aprimorar essas habilidades terá grandes chances de se destacar no mercado e conquistar as melhores posições dentro das empresas.

Assine agora nossa Newsletter
Receba conteúdos exclusivos do UOL EdTech na sua caixa de entrada